Header Ad

Cirurgias realizadas durante a Caravana da Transformação são seguras e rápidas

30 de novembro de -0001
14 Visualizações

Fazer uma cirurgia para muitos pode ser considerado motivo de preocupação e de insegurança, seja pela complexidade do procedimento ou pelo estágio da doença. Entretanto, não é o que acontece com as cirurgias de catarata, pterígio e yag laser, procedimentos realizados na Caravana da Transformação. Rápidas, praticamente indolores, de fácil recuperação e o principal de tudo isso: seguras.

Pelo menos é o que garante o oftalmologista e cirurgião ocular da 20/20, empresa responsável pelos atendimentos oftalmológicos da Caravana da Transformação, Celso Sakuma. Nesta quinta-feira (09.03), tiveram início as primeiras cirurgias da quinta edição do evento, que está acontecendo no munícipio de São José dos Quatro Marcos, mas que atende também a outras 13 cidades da região Oeste.

Ao todo, 306 pessoas passaram por cirurgias até o momento e outras 686 estão agendadas para os próximos dias.

A cirurgia de catarata, carro-chefe da Caravana é o procedimento mais longo, mas ainda assim dura em torno de cinco minutos. O cirurgião faz um corte pequeno, precisamente 2,75 milímetros, e assim é realizada a quebra do cristalino por meio de um aparelho ultrassom e em seguida é realizada a aspiração fragmentada. Após este passo, é implantada uma lente intraocular, o que garantirá a nova visão do paciente. Não é necessário nenhum tipo de ponto para o fechamento do corte.

Popularmente conhecido como “limpeza da lente”, o Yag Laser é indicado para pacientes que já realizaram a cirurgia de catarata. Mas o médico explica que este procedimento é o rompimento de uma membrana incolor que com o tempo se torna opaca. O corte da cirurgia de Yag Laser, como o nome já diz, é feito com um laser, que atravessa a superfície do olho e atinge a camada mais interna. Por isso não é necessária uma anestesia intensa, apenas um colírio pode resolver.

A cirurgia de Pterígio, uma formação carnosa, é bastante simples, sendo que o procedimento inclui a raspagem e o corte dessa protuberância. O médico explica que a técnica mais comum não necessita de ponto, sendo realizada a cicatrização normalmente, mas dependendo da extensão do Pterígio, o ponto é realizado, caso ele seja considerado grande.

“Dos três procedimentos, o mais desconfortável é o Pterígio. Pelo feito de ter feito uma raspagem na córnea, o paciente pode sentir um leve desconforto, que é um pouco maior no primeiro dia e diminui nos dias sequentes. A catarata e o Yag Laser são praticamente indolores”, garante Sakuma.

Mas vale lembrar que os três procedimentos tem anestesia, sendo que a catarata possui uma anestesia um pouco mais profunda. Um pequeno desconforto pode ser observado na aplicação da anestesia, dependendo da sensibilidade do paciente.

Estrutura

Para garantir o conforto e segurança de todos os pacientes, a estrutura montada para as cirurgias é de quatro centros cirúrgicos instalados em duas carretas adaptadas. Cirurgiões, enfermeiros, técnicos de enfermagem, instrumentadores e anestesistas compõem a equipe que realiza o atendimento cirúrgico dos pacientes que passam pela Caravana.

“O importante é o ambiente interno. O que nós temos aqui é um ambiente montado com toda assepsia e todo o cuidado com a circulação de pessoas, limpeza, atendendo todas as exigências médicas. O fato de estar em uma carreta, não quer dizer que é menos seguro. O índice de infecções é muito menor do que muitos hospitais brasileiros”, conclui o médico.

Ainda nessa quinta-feira (09.03), a Vigilância Sanitária Estadual realizou 14 inspeções em todo o evento, incluindo os centros cirúrgicos. A inspeção do local é realizada durante diversas vezes no dia, para garantir a segurança dos pacientes. Caso alguma irregularidade seja detectada, imediatamente o Governo do Estado e a empresa são notificados. Em nenhuma das cinco edições foi detectado qualquer tipo de problema no centro cirúrgico.

Recentemente, o Governo do Estado atendeu a recomendação do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRMMT), que recomendou a diminuição das ilhas cirúrgicas de três para duas por carreta. A medida gerou ainda mais conforto e segurança ao corpo médico e aos pacientes.

“Toda e qualquer contribuição no sentido de melhorar os serviços oferecidos é bem-vindo na Caravana da Transformação. Sabemos da responsabilidade que temos ao levar este tipo de cirurgia e estamos criando vários mecanismos para que todos os pacientes atendidos tenham não só um bom atendimento no evento, mas também posteriormente”, destacou o secretário de Estado do Gabinete de Governo e coordenador-geral da Caravana, José Arlindo de Oliveira.

Além dos três atendimentos pós-operatórios realizados 24 horas, sete dias e 30 dias após a cirurgia, a Caravana da Transformação também disponibiliza um telefone de contato para que os pacientes tirem dúvidas ou relatem qualquer intercorrência. O número de contato é o 08007707011.

Balanço

Até esta quinta-feira (09.03), a quinta edição da Caravana já realizou 306 cirurgias, 2.592 consultas e 11.435 procedimentos oftalmológicos. Os municípios de Araputanga, Cáceres, Glória d’Oeste, Indiavaí, Jauru, Nova Lacerda, Porto Esperidião, Reserva do Cabaçal, Salto do Céu, São José dos Quatro Marcos e Vale de São Domingos.

Nesta sexta-feira (10.03), serão realizados os primeiros atendimentos pós-operatórios, que acontecem no Ginásio Poliesportivo João Manah, anexo ao evento.

RECOMENDAMOS

Brasil
0 shares5 views

Três homens são mortos em operação da polícia na Cidade de Deus

CONEWS - nov 21, 2017

A Polícia Civil do Rio de Janeiro realizou hoje (21) uma operação na Cidade de Deus, zona oeste da cidade,…

Brasil
0 shares7 views

TRF2 ordena nova prisão de Picciani, Melo e Albertassi após decisão da Alerj

CONEWS - nov 21, 2017

O Tribunal Regional Federal da 2a Região (TRF2) expediu uma nova ordem de prisão e afastamento do cargo para os…

Brasil
0 shares17 views

Em apresentação a diplomatas, CNI mostra dados que indicam fim da recessão

CONEWS - nov 21, 2017

Pela primeira vez nos últimos três anos todos os indicadores medidos pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) evoluíram de forma…

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.