Header Ad

Presidente de comissão avalia análise de reforma trabalhista pelo Plenário

30 de novembro de -0001
28 Visualizações

O presidente da Comissão Especial da Reforma Trabalhista (PL 6787/16), deputado Daniel Vilela (PMDB-GO), informou nesta quarta-feira (15)  que há uma questão de ordem formulada ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para que a proposta perca o caráter conclusivo e seja analisada também pelo Plenário.

Segundo Vilela, mesmo que a questão de ordem seja negada, há número suficiente de parlamentares para apresentar recurso de votação em Plenário.

Teletrabalho 
No debate desta quarta, deputados divergiram sobre a forma de regulamentação do teletrabalho. Daniel Almeida (PCdoB-BA) afirmou que a questão  não é a existência ou não desse sistema, mas se há necessidade de sua regulamentação.

“Outros países estão fazendo, acho que nós precisamos estabelecer patamar mínimo de proteção em a partir dele, fazer a negociação coletiva”, avaliou.

O deputado também defendeu condições de dignidade iguais para todas as profissões. “Todos somos seres humanos, por mais intelectual que seja o trabalhador tem que dormir, comer. Mesmo em sociedades desenvolvidas, como o Japão, temos altos índices de suicídio, não podemos querer que todos sejamos máquinas, nosso patamar é a preservação da dignidade”, completou.

Já Arolde de Oliveira (PSC-RJ) destacou que a transição para o teletrabalho está ocorrendo e lembrou o papel do Legislativo. “Esse processo veio pelas mudanças tecnológicas e suas demandas cada vez mais rápidas, gerando um vácuo legislativo”, afirmou.

Patrus Ananias (PT-MG) questionou as vantagens do trabalho em casa. “É razoável tirar o trabalhador da convivência dos seus pares?”, indagou. Ele também defendeu que os contratos coletivos sejam alicerçados em conquistas sociais e políticas e alertou para doenças causadas pelas novas tecnologias. “De repente, a hora do almoço e o descanso não são mais necessários. Precisamos preservar um patamar mínimo de dignidade”.

Celso Maldaner (PMDB-SC) defendeu mudanças na legislação para que o Brasil fique dentro dos parâmetros internacionais de ações trabalhistas. “A prevalência do negociado sobre o legislado vai acabar com essas ações? Se acabar, já valeu a pena”, avaliou.

O relator da reforma trabalhista, Rogério Marinho PSDSB-RN) afirmou que o princípio da proposta é a pevalência dos acordos sobre a lei, mas vai avaliar se esse ponto específico merece um capítulo à parte. Ele reafirmou que apresentará seu parecer em meados de abril. 

A audiência foi encerrada há pouco.

RECOMENDAMOS

Festival de Brasília anuncia vencedores neste domingo
Brasil
0 shares47 views
Brasil
0 shares47 views

Festival de Brasília anuncia vencedores neste domingo

CONEWS - set 24, 2017

Os vencedores do 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro serão anunciados hoje (24), durante a cerimônia de encerramento do…

Governo do Rio anuncia criação de Fundo de Segurança com royalties do pré-sal
Brasil
0 shares12 views
Brasil
0 shares12 views

Governo do Rio anuncia criação de Fundo de Segurança com royalties do pré-sal

CONEWS - set 24, 2017

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, anunciou hoje (24) a criação do Fundo de Segurança, que terá…

Mesmo poluída, Baía de Guanabara é fonte de renda para milhares de pescadores
Brasil
0 shares16 views
Brasil
0 shares16 views

Mesmo poluída, Baía de Guanabara é fonte de renda para milhares de pescadores

CONEWS - set 24, 2017

Aos 67 anos, Sérgio Souza dos Santos, pescador há 58 anos, lembra com saudades dos bons tempos de pesca na…

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.