Header Ad

Moradores de Itaberaí realizam protesto pedindo por segurança

17 de março de 2017
44 Visualizações

Moradores de Itaberaí, no centro de Goiás, realizaram um protesto pedindo por mais segurança na cidade, nesta quinta-feira (16). Conforme os manifestantes, o número de roubos e furtos no município aumentou. Segundo a organização, cerca 400 pessoas participaram do ato. Conforme a Polícia Militar da cidade, cerca de 200 estiveram na manifestação.

Os comerciantes fecharam as lojas às 17h apoiando o movimento. Durante o ato, muitos se vestiram de branco e carregavam cartazes pedindo por “paz” em Itaberaí. O grupo caminhou da Câmara Municipal até a Prefeitura da cidade, pedindo por menos violência. Eles levaram ainda um carro que foi incendiado recentemente por bandidos.

Um dos organizadores do protesto, o empresário Renato Mendonça de Siqueira, de 36 anos, conta que todos estão com medo e se sentindo encurralados em casa por causado grande número de crimes no município.

“A onda de crimes está alta. Nos últimos 30 dias está ficando absurdo. São 3, 4 crimes todos os dias. Carros estão sendo queimados, há roubos a comércios, furtos, às vezes pequenos, às vezes grandes. Quando dá 18h todo mundo fica dentro de casa trancado com medo de sair e ser pego por alguém armado. Mesmo quando são presos, os bandidos são soltos meia hora depois”, disse ao G1.

Já o agricultor Ciro Bustamante Junco, de 34 anos, que também participou da manifestação, relata que os moradores da cidade costumavam ficar na porta das casas conversando. No entanto, a violência aumentou e as pessoas perderam esse hábito.

“Antes tinha esse perfil de cidade interiorana, agora parece uma cidade sitiada. Às 21h, 22h, todos estão em casa, ninguém sai mais. Ainda assim, os assaltos têm acontecido no meio do dia, a qualquer hora, em qualquer lugar. Optamos por fazer essa manifestação para apelar para o poder público alguma medida para melhorar a segurança”, afirmou.

O coronel da PM Ronaldo Pereira Soares, responsável pelo policiamento na cidade, declarou que a manifestação foi pacífica. Segundo ele, o trabalho da corporação tem sido executado com êxito no município.

“Conseguimos reduzir o número de homicídios de 6 para 1 no trimestre. Reduzimos a zero o número de explosão de caixas eletrônicos e assaltos a banco no início desse ano. Ainda assim, temos grande número de roubos e furtos. O que incomoda, e muito, a população, é que temos prendido muitas pessoas, mas temos sistema as vezes não funciona”, declarou.

O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Militar para saber sobre o efetivo presente na cidade, mas não recebeu retorno até a publicação desta reportagem.

A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) informou, por meio de nota, que ária (SSPAP) informou, por meio de nota, que há uma unidade prisional na cidade com capacidade para 90 detentos. Atualmente, há 73 pessoas detidas no local.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou ao G1, por telefone, que há um delegado, dois agentes e dois escrivães na cidade. No entanto, os dois escrivães estão de licença médica por causa de excesso de trabalho.

Ainda segundo a corporação, há 5 servidores da prefeitura da cidade lotados na delegacia para dar apoio à Polícia Civil em serviços administrativos e de atendimento ao público.

O órgão relatou ainda que reconhece que há um problema de falta de efetivo. Segundo a assessoria, o problema deve ser solucionado com o fim do processo seletivo que vai preencher 280 vagas para cargo de agente substitutivo e 220 para escrivão substitutivo. A expectativa da Polícia Civil é de que, até meados deste ano, os servidores estejam nomeados em condições de tomar posse.

A delegada Josy Alves relata que trabalha na cidade há pouco mais de dois anos e notou um aumento na população, diminuição no número de servidores da Polícia Civil na cidade e crescimento na quantidade de crimes. Ela está de licença maternidade, mas revela que notou como a violência na cidade tem preocupado os moradores.

“Quando entrei havia 5 escrivães e 6 agentes, mas esse número vem diminuindo. A crise financeira é um dos fatores que pode ter acarretado no aumento do número de crimes na cidade. Muitas pessoas vêm para tentar emprego aqui, não conseguem, mas acabam ficando e entrando para o mundo do crime”, disse.

RECOMENDAMOS

Brasil
0 shares8 views

PGR recorre ao Supremo para garantir prisão de deputados da Alerj

CONEWS - nov 21, 2017

A Procuradoria-Geral da República (PGR) entrou hoje (21) com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para anular a decisão…

Brasil
0 shares14 views

CGU retira do serviço público ex-dirigentes de Hospital dos Servidores do Rio

CONEWS - nov 21, 2017

A Controladoria-Geral da União (CGU) exonerou do serviço público, nesta terça-feira (21), dois ex-servidores do Hospital Federal dos Servidores do…

Preço das hortaliças aumenta em outubro; frutas ficam mais baratas
Brasil
0 shares18 views
Brasil
0 shares18 views

Preço das hortaliças aumenta em outubro; frutas ficam mais baratas

CONEWS - nov 21, 2017

A batata e a cenoura registraram os maiores aumentos. Em setembro, a batata havia apresentado a maior queda nas cotações.…

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.