Header Ad

‘Não vai trazer de volta, mas vai dar sossego’, diz mãe de garoto agredido

30 de novembro de -0001
29 Visualizações

A mãe do adolescente Wesner Moreira da Silva, de 17 anos, que morreu no dia 14 de fevereiro depois de ficar 11 dias internado na Santa Casa após sofrer agressão em um lava-jato e perder parte do intestino ficou mais aliviada com o entendimento do procurador-Geral da Justiça Paulo Passos de que o caso trata de homicídio doloso e não lesão corporal, como era cogitado.

“Isso não foi brincadeira, isso foi um crime. Eu quero que eles paguem por esse crime, pra eles não aprontarem com outra família. Não vai trazer de volta, mas vai dar sossego para mim, eu vou poder dormir e falar assim: ‘a justiça foi feita’”, afirmou Marisilva Moreira da Silva.

O caso foi para análise da Procuradoria-Geral da Justiça depois de um conflito de competência quando a polícia fez o pedido de prisão dos suspeitos. O juiz Marcelo Ivo, da Vara Criminal, recebeu o caso como lesão corporal, mas entendeu que se tratava de um homicídio. Por isso, encaminhou o processo para o juiz Carlos Alberto Garcete, da Vara do Tribunal de Júri. Mas Garcete devolveu o processo alegando não ser de sua atribuição, além de negar o pedido de prisão contra dono e o empregado do lava-jato, suspeitos de praticarem a violência.

“Havendo evento morte com intenção ou com dolo, ou seja, assumindo o risco que a morte aconteça, a Constituição Federal estabelece que a competência para julgar é do Tribunal do Júri e o promotor para atuar é do Tribunal do Júri”, afirmou Passos.

Agressão
No dia 3 de fevereiro, o dono do lava-jato Thiago Demarco Sena e o funcionário William Henrique Larrea teriam colocado a mangueira de compressão de ar perto do ânus do adolescente. William era amigo da família da vítima. Os suspeitos não têm passagem pela polícia.

Wesner foi socorrido em estado grave. O jato de ar causou diversas lesões e fez o garoto perder parte do intestino. Ele ficou internado na Santa Casa de Campo Grande por 11 dias antes de morrer.

Enquanto esteve no hospital, o adolescente contou para a família detalhes sobre a agressão, disse que perdoava os suspeitos, mas pediu que eles fossem presos, segundo a família. Ele também negou que a agressão tivesse sido uma brincadeira.

RECOMENDAMOS

Brasil
0 shares32 views

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira

CONEWS - dez 15, 2017

O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação…

Brasil
0 shares28 views

Gilmar Mendes prevê dificuldades com fake news nas eleições de 2018

CONEWS - dez 15, 2017

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, previu que as eleições de 2018 serão um desafio para…

Brasil
0 shares34 views

Raquel Dodge se manifesta contra lei que deu status de ministro a Moreira Franco

CONEWS - dez 15, 2017

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer em que se manifesta contra a lei…

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.