Header Ad

Deputado da base que votar contra Temer estará fora do governo, diz vice-líder

30 de novembro de -0001
69 Visualizações

Faltando poucos dias para a votação do parecer pelo arquivamento da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados, os aliados do governo intensificam as articulações para conseguir o maior número de votos pelo arquivamento da denúncia. Hoje, o vice-líder do governo, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), disse que o deputado da base governista que votar contra o presidente Temer estará fora da base.   “Quem não votar a favor do presidente Temer estará fora da base do governo. O deputado tem que decidir se é governo ou não é governo. [Se] Acredita no novo Brasil ou não acredita”, disse Perondi ao afirmar que não espaço para dúvidas. “Estamos numa guerra ideológica e numa guerra de política econômica. Uma fracassada e outra que está recuperando o país, e quem está vacilando tem que decidir logo de que lado vai ficar”, alertou Perondi.   De acordo com o Perondi, os parlamentares que votarem contra o presidente Temer estarão se posicionando contra as propostas “reformistas” do governo e “contra o Brasil”. O peemedebista disse que os deputados da base que votarem contra a orientação dos seus partidos devem sair das legendas ou então “devem ser saídos”. Ele quer fidelidade dos deputados às orientações partidárias.

Em tom de ameaça, o vice-líder disse que aliados que votarem contra Temer perderão cargos. “Tem um deputado de um estado aí que indicou todos os técnicos do Dnit [Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes] e está dizendo que vai votar contra [o presidente]. Se ele mantiver a posição, no outro dia perderá todos os cargos, igualmente a outros deputados em situação semelhante”, sentenciou Perondi.   A apreciação da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer está prevista para o próximo dia 2, no plenário da Câmara dos Deputados. Na ocasião, será colocado em votação o parecer do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) contrário à autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) investigue o presidente Temer. O parecer foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça por 41 votos a 24.

Para que a Câmara autorize o STF a investigar o presidente da República, são necessários dois terços dos votos dos 513 deputados, ou seja, no mínimo 342 votos. Caberá aos partidos de oposição e aos deputados que querem aprovar a autorização para a investigação conseguirem, no mínimo, os 342 votos para rejeitar o parecer de Abi-Ackel, e autorizar a investigação. Do contrário, o presidente não será investigado pelo STF.

RECOMENDAMOS

Brasil
0 shares28 views

Temer: se reforma da Previdência não for votada este ano, será no início de 2018

CONEWS - dez 10, 2017

O presidente Michel Temer disse neste domingo (10) que a reforma da Previdência será aprovada, se não em 2017, "no…

Senado fará esforço concentrado para votar propostas às vésperas do recesso
Brasil
0 shares26 views
Brasil
0 shares26 views

Senado fará esforço concentrado para votar propostas às vésperas do recesso

CONEWS - dez 10, 2017

Às vésperas do recesso legislativo, que oficialmente começa no dia 23, os próximos 10 dias úteis de trabalho no Senado…

Brasil deixou recessão para trás, diz Temer na Argentina
Brasil
0 shares27 views
Brasil
0 shares27 views

Brasil deixou recessão para trás, diz Temer na Argentina

CONEWS - dez 10, 2017

O presidente Michel Temer declarou neste domingo (10) que a economia do Brasil deixou a recessão para trás com a…

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.